O que fazer na introdução alimentar quando o bebê não quer comer

Aos seis meses de vida o bebê chega na fase da introdução alimentar, isto é, chegou a hora de oferecer variados tipos de alimentos além do leite materno ou fórmula infantil.

Nessa fase, as crianças passam por várias mudanças que não afetam somente a elas, mas aos pais também de forma profunda. A rotina ganha um novo ponto focal: onde a atenção se volta para o início da introdução alimentar do bebê. E deve mesmo receber toda essa atenção, pois essa fase será marcante para todos os envolvidos, principalmente, para a criança.

As escolhas, feitas pelos pais ou responsáveis, dos alimentos para esta fase irão determinar o tipo de pessoa que a criança será no futuro: aquela que come de tudo de forma saudável e gosta de comer, ou aquela pessoa que será seletiva e limitada na hora de comer e que, na maioria das vezes, optará sempre por alimentos menos saudáveis.

Quando a alimentação dos pais é saudável já conta como um ponto positivo que irá facilitar a oferta de comida de qualidade ao bebê. Lembrando que a partir dos seis meses já é recomendado oferecer não apenas sopinhas e frutinhas, mas comida sólida também.

Mas e quando o bebê não quer comer?

É, sabemos que na hora da prática, fazer a introdução alimentar não vai ser tão simples, não é mesmo? No entanto, existem algumas dicas que com certeza irão te ajudar a enfrentar cada desafio do dia a dia nessa fase.

É comum que ao iniciar a oferta de alimentos sólidos ao bebê ele aceite com mais facilidade alguns e outros não.

Observe se a recusa é por algum alimento específico ou todos que você oferece. Certifique-se de que o bebê não esteja recusando os alimentos devidos à sua prontidão. Isso é muito importante, tá? Os sinais de prontidão é que, mais do que a idade do bebê, irão determinar a hora do início da introdução alimentar.

Veja a seguir os 5 sinais de prontidão para a introdução alimentar

  1. O bebê senta sozinho sem ajuda;
  2. Controla a cabeça;
  3. Leva a mão ou objetos à boca;
  4. Não empurra os alimentos pra fora da boca com a língua;
  5. Demonstra interesse nos alimentos;

Observe esses sinais e se tiver alguma dúvida, fale com o pediatra do bebê.

Mesmo que o seu bebê aceite certos alimentos e rejeite outro específico, continue sua batalha. Ofereça novamente o mesmo alimento em outra oportunidade, pois, não é com uma recusa que você vai desistir, não é mesmo?

Além disso, o bebê pode rejeitar um alimento em um dia e no seguinte, pode aceitá-lo de forma tranquila.

Veja agora 10 dicas para ajudar o seu bebê a comer melhor na introdução alimentar

  1. Seja calma e paciente;
  2. Dê o exemplo: deixe seu bebê observá-la enquanto faz suas refeições e tenha no seu prato os mesmos alimentos que irá ofertar a ele.;
  3.  Oferte alimentos variados;
  4. Evite rejeitar qualquer alimento na frente do bebê;
  5. Volte a oferecer com frequência os alimentos já rejeitados pelo bebê;
  6. Prepare refeições com sabor. Foi-se o tempo em que “não podia” temperar comida de bebê. Claro que você tem que ter o senso, né? Prepare refeições saborosas e saudáveis;
  7. Tenha comida pronta para variar e não deixar o bebê sem opções, caso rejeite algum alimento;
  8. Seja objetiva. Na hora da refeição foque apenas na refeição para que não seja um momento muito demorado;
  9. Não oferte alimentos prontos processados, industrializados e refrigerantes;
  10. Consulte seu pediatra e se possível um(a) nutricionista infantil para acompanhar esse momento especial na vida da sua família.

Meu bebê come muito pouco, o que fazer para ele comer mais?

Seu bebê já está se alimentando e isso já é um avanço! É comum que a princípio, nas primeiras tentativas, o bebê coma pouco ou nada. Então, se o seu bebê, mesmo que em pouca quantidade, já esteja comendo alguma coisa já está excelente.

Não é recomendado pelos especialistas que o bebê seja forçado a comer. Eu sei que o coração da mamãe fica apertado ao ver o bebê não engolindo os alimentos que preparou com tanto afinco.  Porém, lembre-se que a introdução alimentar é uma alimentação complementar. O leite materno ou fórmula infantil deve continuar sendo suas principais refeições.

Para saber mais recomendamos que você conheça o Guia de Introdução Alimentar na Prática: métodos tradicional, BLW e Participativo da Chiquititos. Esse e-book foi criado em parceria com uma profissional nutricionista materno e infantil para ajudar as mamães e papais sobre o tema introdução alimentar.

GUIA DA INTRODUCAO ALIMENTAR 4 1

Guia de Introdução Alimentar na Prática: métodos tradicional, BLW e participativo. Qual o melhor?

Vantagens:

  • Livro digital (entrega rápida e de fácil leitura)
  • Aborda todos os principais assuntos relacionados a introdução alimentar
  • Aprovado pela Nutri Malena Fonseca
  • 25 receitas de comida de verdade para bebê
  • Excelente relação custo benefício

Desvantagens:

  • Não há.
Ver na Loja

Escolha hoje mesmo fazer uma introdução alimentar funcional para o seu bebê. Tenha conhecimento sobre o processo e acalme o seu coração, logo o seu bebê vai estar comendo todos os tipos de alimentos. Vai crescer saudável e te encher de amor e orgulho por toda a vida.

Espero que esse artigo tenha ajudado a sanar algumas de suas dúvidas. Caso tenha alguma outra coisa que gostaria que eu escrevesse sobre, por favor, não hesite em entrar em contato.

Leia também

Foto Destaque: Image by freepik.com. Artigo produzido por Maria Adrielia para o Blog Chiquititos. Texto protegido pela Lei de Direitos Autorais nº 9.610/98. Fica totalmente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo sem a devida autorização do autor. Para maiores informações, entre em contato com atendimento@chiquititos.com.br.

Última atualização em 11 meses por Maria Adrielia